Comitiva do COMDES visita obras do novo aeroporto Hercílio Luz

Estrutura metálica do terminal de passageiros foi concluída na última semana

Uma das prioridades do Grupo de Trabalho de Mobilidade Urbana do Conselho Metropolitano para o Desenvolvimento da Grande Florianópolis – COMDES é resolver o imbróglio das obras da via de acesso para o novo aeroporto internacional da Capital. Por outro lado, a Floripa Airport está com as obras do novo terminal a todo vapor. Na tarde da última sexta-feira (13), a concessionária recebeu pela primeira vez, uma visita oficial de entidades no canteiro de obras. Uma comitiva do COMDES, formada por 20 integrantes, pôde conferir de perto o andamento acelerado da construção.

Segundo o coordenador-geral do conselho, Ernesto Caponi, a impressão da visita é muito positiva e certamente a concessionária irá cumprir com o cronograma antecipadamente. “É impressionante o ritmo da construção, assim como estão sendo projetadas – por módulos, que para o futuro se precisar expandir, a estrutura permitirá”, conta Caponi.

No mês de julho, as obras do novo terminal de passageiros do Aeroporto Hercílio Luz, iniciou a segunda etapa da construção com a elevação do prédio. Nesta nova fase as estruturas metálicas somam cerca de 3,7 mil toneladas, que serão encaixadas como um jogo “lego”, dando o formato do novo aeroporto com 49 mil metros quadrados de área.

Durante a visita guiada pelo Engenheiro Civil, Antônio Diniz, foi possível conhecer de perto a estrutura metálica do novo terminal concluída durante a semana. De acordo com Diniz, todos os dias chegam armações metálicas para o andamento da obra. O cronograma é de que até janeiro de 2019 o prédio esteja fechado para dar início à estrutura interna e no mês de julho concluir a obra para iniciar a transição.

Para Caponi, a preocupação do COMDES, assim como da concessionária Floripa Airport, é a conclusão da via de acesso, visto que sem o traçado construído, a única passagem será pela SC 405, onde é inviável devido o fluxo de veículos daquele local, sem contar os longos congestionamentos.

“Será preponderante o COMDES entrar nessa empreitada e atuar efetivamente junto ao governo do Estado, buscando soluções com as secretarias de planejamento e infraestrutura para dar andamento nas desapropriações que ainda são um problema, assim como dar andamento no processo licitatório para que a empresa contemplada possa dar início o quanto antes às obras”, afirma Caponi.

Voltar

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ver mais notícias